A oferta da viúva

A oferta da viúva – Lucas 21:1-4 – Nova Versão Internacional 

1. Jesus olhou e viu os ricos colocando suas contribuições nas caixas de ofertas. 2. Viu também uma viúva pobre colocar duas pequeninas moedas de cobre. 3. E disse: “Afirmo-lhes que esta viúva pobre colocou mais do que todos os outros. 4. Todos esses deram do que lhes sobrava; mas ela, da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver”. 

  1. O que Jesus observava antes de começar a falar? Onde eles estavam? 
  2. Aos olhos de Jesus, a oferta da viúva era maior ou menor que a dos ricos? Por quê? Quais foram os critérios considerados? 
  3. A fala de Jesus indica exaltação ao ato da viúva e/ou diminuição do ato dos ricos? Como você chegou a essa conclusão? 
  4. No Antigo Testamento temos exemplos de viúvas em situações de vulnerabilidade, como a Viúva de Sarepta (1Reis 17:8-24) e alguns textos que as colocam na mesma “condição” dos órfãos e estrangeiros (Êxodo 22:21-22). De acordo com o texto estudado em Lucas e observando também as passagens citadas, como podemos imaginar quais eram as condições econômicas e sociais das viúvas naquela época? 
  5. Nos versículos anteriores (Lucas 20:45-47) Jesus fala aos seus discípulos sobre a conduta dos mestres da Lei: “Eles devoram as casas das viúvas, e, para disfarçar, fazem longas orações.” Com base nos versículos citados e utilizando também como apoio os textos de Isaías 1:23 e Mateus 23:14, qual a conclusão sobre como as viúvas eram tratadas pelas autoridades?
  6. Segundo a Lei e as exortações, qual deveria ser a atitude da sociedade para com as viúvas? (Dn 14:28-29, 1 Timóteo 5:3-4).
  7. “…da sua pobreza, deu tudo o que possuía para viver”. A viúva ofertou depositando sua confiança em Deus, sendo um exemplo de fé e adoração. Assim, refletindo neste versículo e nas respostas anteriores, apesar de ser uma atitude agradável aos olhos de Deus, Sua vontade estava sendo plenamente cumprida no ato de oferta? 
  8. Com base nas respostas anteriores, como enxergamos a intenção da fala de Jesus?

 

Para refletir:

  1. A palavra de Deus várias vezes denuncia a injustiça contra o estrangeiro, o órfão e a viúva. Em nosso contexto, onde podemos enxergar as viúvas?
  2. Estamos atentos e observando os atos de injustiça praticados contra as “viúvas”?
  3. Como cristãos, temos o papel de denunciar tais injustiças? Como?
  4. De que forma podemos agir para alterar a realidade de vulnerabilidade das “viúvas” de hoje?

Laís Batista vive em Joinville, é formada em Engenharia Ambiental pela Universidade do Estado de Santa Catarina em Lages e participa da ABUB.


O conteúdo e as opiniões expressas neste texto são de inteira responsabilidade de sua autora e não representa a posição institucional da ABUB, outra instituição ou de todas as organizadoras e colaboradoras do Projeto Redomas. O objetivo é criar um espaço de construção e diálogo.