A Rainha do Sul, em toda sua glória…

A rainha de Sabá é a primeira mulher citada como rainha na bíblia. Seu reino compreendia o que hoje conhecemos como Etiópia, atravessando o Golfo de Áden até o Yemen. Os Sabeus são um povo negro conhecido na bíblia por suas transações comerciais e exportações de ouro, prata e incenso. Sua terra é conhecida como “terra de mil fragrâncias” (Ez 27.22, Is 60.6, Jó 6.19).

A rainha de Sabá é uma mulher negra poderosa, conhecida por sua visita diplomática ao rei Salomão, levando presentes valiosos e enigmas a serem respondidos pelo sábio monarca. Mais do que curiosa pela fama de Salomão, a rainha queria conhecer o Deus que o dotava de sabedoria. Nos evangelhos, Jesus resgata sua figura como a Rainha do Sul, colocando-a na posição de juíza sobre as gerações, que condenará os que não creram Nele, Aquele que é maior que Salomão (Mt 12.42, Lc 11.31). Leia a seguir:

Texto 1:

“1. A rainha de Sabá soube da fama que Salomão tinha alcançado, graças ao nome do Senhor, e foi a Jerusalém para pô-lo à prova com perguntas difíceis.
2. Quando chegou, acompanhada de uma enorme caravana, com camelos carregados de especiarias, grande quantidade de ouro e pedras preciosas, foi até Salomão e lhe fez todas as perguntas que tinha em mente.
3. Salomão respondeu a todas; nenhuma lhe foi tão difícil que não pudesse responder.
4. Vendo toda a sabedoria de Salomão, bem como o palácio que ele havia construído,
5. o que era servido em sua mesa, o lugar de seus oficiais, os criados e copeiros, todos uniformizados, e os holocaustos que ele fazia no templo do Senhor, ela ficou impressionada.
6.  Disse ela então ao rei: “Tudo o que ouvi em meu país acerca de tuas realizações e de tua sabedoria era verdade.
7. Mas eu não acreditava no que diziam, até ver com os meus próprios olhos. Na realidade, não me contaram nem a metade; tu ultrapassas em muito o que ouvi, tanto em sabedoria como em riqueza.
8. Como devem ser felizes os homens da tua corte, que continuamente estão diante de ti e ouvem a tua sabedoria!
9. Bendito seja o Senhor, o teu Deus, que se agradou de ti e te colocou no trono de Israel. Por causa do amor eterno do Senhor para com Israel, ele te fez rei, para manter a justiça e a retidão”.
10. E ela deu ao rei quatro toneladas e duzentos quilos de ouro e grande quantidade de especiarias e pedras preciosas. E nunca mais foram trazidas tantas especiarias quanto as que a rainha de Sabá deu ao rei Salomão.
13. O rei Salomão deu à rainha de Sabá tudo o que ela desejou e pediu, além do que já lhe tinha dado por sua generosidade real. Então ela e os seus servos voltaram para o seu país.” 1 Reis 10:1-10, 13

Texto 2:

“Pois ele liberta os pobres que pedem socorro, os oprimidos que não têm quem os ajude.
Ele se compadece dos fracos e dos pobres, e os salva da morte.
Ele os resgata da opressão e da violência, pois aos seus olhos a vida deles é preciosa.
Tenha o rei vida longa! Receba ele o ouro de Sabá. Que se ore por ele continuamente, e todo o dia se invoquem bênçãos sobre ele.” Salmos 72:12-15

Texto 3:

“Então alguns dos fariseus e mestres da lei lhe disseram: “Mestre, queremos ver um sinal miraculoso feito por ti”. A Rainha do Sul se levantará no Dia do Juízo com esta geração e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que está aqui quem é mais do que Salomão.” Mateus 12:38, 42.

A Rainha de Sabá nas diversas culturas

Relatos sobre a rainha de Sabá estão presentes em diversas tradições e culturas. Entre os etíopes ela é conhecida como Makeda, soberana fundadora de sua nação a partir de um suposto filho com Salomão, o imperador Menelik 1. Na tradição muçulmana é Bilqis, uma figura pré-islâmica, filha única de um poderoso rei; sua família é de uma linhagem considerada superior às outras dinastias da região. Bilqis teria sido rejeitada como rainha por ser mulher e descendente de uma linhagem perigosa. Ela luta para recuperar o trono, por ser a única sucessora legítima do rei, e consegue voltar ao poder. No Alcorão é relatado também um romance entre Bilqis e Salomão, que em certo momento a rejeita por causa de suas pernas peludas.

Para discutir…

  1. Qual a motivação da visita da rainha de Sabá a Israel, em uma viagem que duraria aproximadamente 100 dias naquela época? Qual a reação dela ao conhecer Jerusalém e o reino de Salomão?
  2. A rainha de Sabá traz diversos presentes para oferecer ao rei. Só a quantidade de ouro seria equivalente a 400 milhões de reais, em uma cotação brasileira de 2016. O que isso revela sobre seu país e seu governo?
  3. O texto relata que a rainha levou também “perguntas difíceis” a serem respondidas por Salomão. O que seu desejo de conhecer o sábio rei e propor enigmas a ele nos diz sobre sua própria personalidade e natureza?
  4. Qual a reação de Salomão ao receber a visita da rainha de Sabá?
  5. No texto 3, a rainha de Sabá é colocada por Jesus na posição de juíza da geração, em resposta aos fariseus que pediam para ver um sinal miraculoso de Jesus (mesmo já tendo visto muitos). Qual o contraste proposto por Jesus no texto?  Em que se diferem as motivações da rainha ao propor enigmas a Salomão e dos fariseus ao questionarem a Cristo?
  6. A Etiópia é mencionada 45 vezes na bíblia. Se somarmos essa quantidade com o número de vezes que o Egito é mencionado, veremos que a África é o continente mais citado na bíblia. O que isso nos diz sobre o lugar do negro na bíblia, e como deve nos influenciar na leitura das escrituras?
  7. Pensando nas representações de personagens cristãos que você já viu (imagens, filmes, obras de arte, revistas de educação cristã), quantos desses personagens eram negros ou negras? Que posição ocupam os negros e negras nas comunidades religiosas cristãs atualmente?
  8. No versículo 9, a rainha louva a Deus pelo governo de Israel. Diz ainda que o Senhor colocou Salomão como rei “para manter a justiça e a retidão”. Você tem aceitado o desafio da rainha de Sabá, lutando pela justiça nos lugares onde foi colocado?  
  9. O que a rainha negra, juíza da geração, diria sobre suas condutas a respeito das questões raciais na sua universidade, espaços de fé, redes sociais (!), e outros meios onde convive?

“Príncipes virão do Egito; a Etiópia cedo estenderá para Deus as suas mãos.”

Sl 68:31

Interessante:

Venchi, Mariane. (2008). Seduções e traições de gênero no Islã: a rainha de Sabá e o corpo feminino circuncidado. Cadernos Pagu, (30), 161-197. https://dx.doi.org/10.1590/S0104-83332008000100012


Luciana Petersen é metade paulista, metade mineira e inteira negra.  Estuda na Ufla, faz parte da ABU desde 2015 e já considera pakas.


O conteúdo e as opiniões expressas neste texto são de inteira responsabilidade de sua autora e não representa a posição institucional da ABUB, outra instituição ou de todas as organizadoras e colaboradoras do Projeto Redomas. O objetivo é criar um espaço de construção e diálogo.