A ousadia de Raabe

0 Flares 0 Flares ×

Quantas vezes você já foi subestimada? E quantas vezes já foi subestimada apenas por ser mulher?

 

Viver em um mundo onde somos rodeadas por padrões e comparações pode ser extremamente difícil. “Mulher deve ser assim”, “mães perfeitas agem de determinadas formas”, “você está acima do peso”. Por diversas vezes, deixamos que a nossa vida seja ditada por coisas que dizem e pensam a respeito de nós, e esquecemos de ouvir aquilo que Deus tem a dizer sobre quem somos.

Raabe foi uma mulher considerada sem valor para a sociedade em que vivia. Além de ser mulher, o que já diminuía consideravelmente a sua importância social, ela era prostituta: duas condições que faziam com que ela não fosse “valiosa” aos olhos humanos. Porém, mesmo sendo marginalizada e reprimida por quem a rodeava, Raabe decidiu fechar os ouvidos para os que a menosprezavam e acreditou nos sonhos que Deus havia planejado para a sua vida. Vamos ler a história dessa mulher inspiradora?

 

Josué 2:1-15: Então Josué, filho de Num, enviou secretamente de Sitim dois espiões e lhes disse: “Vão examinar a terra, especialmente Jericó”. Eles foram e entraram na casa de uma prostituta chamada Raabe, e ali passaram a noite. Todavia o rei de Jericó foi avisado: “Alguns israelitas vieram aqui esta noite para espionar a terra”. Diante disso, o rei de Jericó enviou esta mensagem a Raabe: “Mande embora os homens que entraram em sua casa, pois vieram espionar a terra toda”. Mas a mulher que tinha escondido os dois homens respondeu: “É verdade que os homens vieram a mim, mas eu não sabia de onde tinham vindo. Ao anoitecer, na hora de fechar a porta da cidade, eles partiram. Não sei por onde foram. Corram atrás deles. Talvez os alcancem”.

Ela, porém, os tinha levado para o terraço e os tinha escondido sob os talos de linho que havia arrumado lá. Os perseguidores partiram atrás deles pelo caminho que vai para o lugar de passagem do Jordão. E logo que saíram, a porta foi trancada. Antes dos espiões se deitarem, Raabe subiu ao terraço e lhes disse: “Sei que o Senhor lhes deu esta terra. Vocês nos causaram um medo terrível, e todos os habitantes desta terra estão apavorados por causa de vocês. Pois temos ouvido como o Senhor secou as águas do mar Vermelho perante vocês quando saíram do Egito, e o que vocês fizeram a leste do Jordão com Seom e Ogue, os dois reis amorreus que aniquilaram.Quando soubemos disso, o povo desanimou-se completamente, e por causa de vocês todos perderam a coragem, pois o Senhor, o seu Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra. Jurem-me pelo Senhor que, assim como eu fui bondosa com vocês, vocês também serão bondosos com a minha família. Dêem-me um sinal seguro de que pouparão a vida de meu pai e de minha mãe, de meus irmãos e minhas irmãs, e de tudo o que lhes pertence. Livrem-nos da morte”.

“As nossas vidas pelas de vocês! “, os homens lhe garantiram. “Se você não contar o que estamos fazendo, nós a trataremos com bondade e fidelidade quando o Senhor nos der a terra”.

Então Raabe os ajudou a descer pela janela com uma corda, pois a casa em que morava fazia parte do muro da cidade,  […].”

 

Raabe foi uma mulher ousada. Além de ser uma mulher de fé, como sempre é retratada, ela foi uma mulher que desafiou as autoridades de sua época para lutar pelo que acreditava e para agir com compaixão e misericórdia. Na conquista da  Terra Prometida, os israelitas foram levados até Jericó, e, para que pudessem invadir a cidade, foram até a casa de Raabe para se esconder. Sendo questionada sobre a presença dos espias em Jericó, Raabe decidiu fazer o que o seu coração mandava, obedecendo àquele a quem ela acreditava ser o verdadeiro Deus. Mesmo correndo risco de morte por mentir para o Rei de Jericó, ela ajudou o povo de Israel, auxiliando-os a derrubarem, mais tarde, a cidade de Jericó.

Por sua história e seu contexto de vida, ela poderia ter ignorado os planos de Deus para sua vida, acreditando que seria incapaz de cumprir o seu chamado, mas Raabe decidiu acreditar num Deus que a valorizava. Fechando os ouvidos para uma sociedade que a diminuía, ela abriu os ouvidos para aquEle que a havia chamado, encheu-se de coragem e ousadia, para enfrentar as lideranças da sua época, protegendo os espias israelitas e, com muita fé e destreza, salvou, além da sua vida, a de sua família.

Após Jericó ter sido destruída, a heroína da nossa história passou a viver junto com  os israelitas. Mas não para por aí: a fé e a coragem de Raabe foram tão grandes, que a sua história marcou gerações. Encontramos o nome dessa mulher de fé três vezes no novo testamento:

  1. A primeira – e talvez mais importante – está em Mateus 1:5 – E Salmom gerou, de Raabe, a Boaz; e Boaz gerou de Rute a Obede; e Obede gerou a Jessé; – nada mais, nada menos, do que na genealogia de Jesus. Mateus, quando escreveu o seu evangelho, não se esqueceu de mostrar a graça de Deus por meio da vida de mulheres que eram excluídas pela sociedade, mas que foram incluídas na história do Salvador do mundo pela graça do nosso Pai.  Não foi diferente com Raabe, que apareceu como matriarca nessa genealogia.
  2. Em Hebreus 11:31, vemos a fé de Raabe ser exaltada, na galeria dos “Heróis da Fé”: Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias;
  3. E por último, Tiago fala em seu livro sobre a importância das obras de Raabe, que fizeram com que ela fosse justificada. E de igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho? – Tiago 2:25.

 

O que podemos aprender com Raabe, vai além da fé: com a história dessa mulher, aprendemos sobre misericórdia, ousadia, amor e temor ao Senhor, mas, principalmente, aprendemos a ouvir a voz Daquele que nos chamou, que acredita em nosso potencial e em nosso valor e que quer nos usar independente de nossos pecados, de nosso contexto social ou das dificuldades que enfrentamos.

Que sejamos como Raabe, exercendo com ousadia o nosso chamado e cumprindo a vontade Daquele que nos enviou.


Gabriela Wegner, 20 anos, cristã, feminista e estudante de jornalismo. Congrega na Igreja Batista Nacional no Cajuru.


O conteúdo e as opiniões expressas neste texto são de inteira responsabilidade de sua autora e não representa a posição de todas as organizadoras e colaboradoras do Projeto Redomas. O objetivo é criar um espaço de construção e diálogo.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×